O tratamento da boca seca costuma ter bons resultados em cerca de 70% dos casos de hipossalivação.  Entretanto, para se atingir bons resultados, diferentes métodos de tratamentos devem ser associados. No caso de não se conseguir um bom resultado, deve-se atuar preventivamente no sentido de limitar o dano que pode ser causado aos dentes, gengiva e mucosa bucal.

O primeiro passo é avaliar o grau de comprometimento da função das glândulas salivares. Em função de um maior ou menor comprometimento da produção de saliva, diferentes abordagens terapêuticas serão associadas para a obtenção dos melhores resultados possíveis.

As abordagens terapêuticas para a estimulação da produção de saliva serão:

Estímulos mastigatórios: o uso da mastigação é um estímulo normal e fisiológico para aumentar a salivação, consistindo numa forma de estimulação natural à função das glândulas salivares. Pode-se obter um bom resultado aumentando o consumo de alimentos mais consistentes e ricos em fibras, criando o hábito de mastigá-los bem, para estimular a produção salivar. Além disso, como forma auxiliar de tratamento, o uso de dispositivos de silicone (sialogogos mecânicos marca Halitus ou Hiperbolóide) e uso de goma de mascar sem açúcar são os mais frequentemente utilizados.

Estímulos gustatórios: devem ser utilizados com cautela em Pacientes que tenham queixa de sensibilidade dentinária ou mucosa bucal desidratada e irritada. Pode-se utilizar alimentos levemente azedos que aumentem a produção de saliva como a ameixa umeboshi (a venda em lojas de produtos naturais, macrobióticos de culinária japonesa), frutas Cítricas, gotas de limão sobre a língua, balas e mentas e pastilhas estimulantes salivares: Salivix, Provalis (a venda na Inglaterra).

Estímulos farmacológicos: A pilocarpina é o sialogogo farmacológico mais estudado e mais utilizado em todo o mundo, por isso, é a droga de primeira escolha para o tratamento da hipofunção das glândulas salivares. Deve ser prescrita por um profissional habituado ao seu uso, que fará uma avaliação se o Paciente não tem contra-indicações ao uso da droga e se esta produz um aumento significativo na produção de saliva que justifique a sua utilização, sem efeitos colaterais.

Existem outras drogas também utilizadas para esta finalida