Sialometria – Como fazer o teste

05 de Novembro de 2018

Sialometria – Como fazer o teste

Caso não tenha lido nosso artigo anterior, aconselhamos que o faça, para uma melhor compreensão do texto à seguir. Leia agora o texto inicial.

Orientações pré-sialometria

Previamente ao exame o paciente deverá ser instruído a não fumar, comer, beber ou realizar quaisquer procedimentos de higiene bucal nas duas horas que antecedem as medições. Além disso, especialmente em avaliações seriadas, deverá tomar 300 ml de água duas horas antes das coletas de saliva para se evitar que a variabilidade na hidratação do organismo possa afetar os resultados. Outro aspecto importante refere-se à padronização do horário, ou seja, o monitoramento do fluxo deverá ser realizado sempre no mesmo horário em que se realizou a primeira coleta para se evitar variações.

Além da técnica de sialometria utilizada, diversos fatores podem influir nos resultados, como a claridade e a temperatura ambiente, a umidade relativa do ar, os ruídos no ambiente, o horário em que é feita a coleta, o tempo de duração da coleta, o tipo de estímulo gustatório, a consistência e tamanho do estímulo mecânico, período em jejum, e até mesmo qual a estação do ano. Na medida do possível esses fatores devem ser padronizados, visando a confiabilidade dos resultados.

Resultados

Os valores preconizados pela Associação Brasileira de Halitose – ABHA são, na sialometria sob estímulo mecânico de 6,0 a 12,5 ml de saliva em cinco minutos (ou de 1,2 a 2,5 ml/minuto), como um padrão aceito clinicamente, que traz conforto e uma boa qualidade de vida aos pacientes, sendo que valores abaixo dessas medidas são consideradas hipossalivação e acima, hipersalivação ou sialorréia. Na sialometria em repouso, o padrão aceito clinicamente pela ABHA é de no mínimo 1,5 a 2,0 ml em cinco minutos (ou 0,3 a 0,4 ml/minuto), sendo valores abaixo dessas medidas considerados hipossalivação.

Padrões qualitativos

Uma saliva considerada próxima ao normal deve ser transparente e incolor, sendo colorações avermelhadas ou amareladas possíveis indicativos de sangramento ou pus na boca e uma saliva turva, indicativo de uma descamação excessiva da mucosa bucal.

Com relação à viscosidade, é importante a saliva apresentar alguma viscosidade, pois a saliva muito fluida ou aguada não lubrifica bem a boca, levando a uma sensação frequente de sede. Já a saliva muito mucosa, grossa ou viscosa favorece o acúmulo de placas bacterianas nos dentes, gengiva, língua e garganta, o que predispõe às alterações gengivais e halitose.

Como fazer os testes

Para fazer os testes de sialometria em repouso e sob estímulo mecânico, consulte um profissional capacitado no tratamento da boca seca e da halitose, ou se não puder pagar um tratamento ou residir distante desses profissionais, adquirir um Kit de sialometria, que possibilita realizar inúmeros testes em repouso e 50 testes sob estímulo mecânico. Para conhecer ou adquirir o Kit de sialometria Halitus, clique aqui.

Compartilhe